A Guardia Civil espanhola detetou uma rede portuguesa de roubo de automóveis de gama alta em Portugal, que depois eram legalizados e vendidos em Espanha, França e Alemanha, noticiou esta quinta-feira a agência espanhola EFE.

A operação permitiu recuperar seis veículos de gama alta, avaliados em cerca de 140.000 euros, naqueles três países.

Segundo a polícia espanhola, o grupo português estava perfeitamente organizado, com elementos encarregados do roubo dos veículos em Portugal e outros dedicados à legalização e venda dos mesmos em Espanha, França e Alemanha.

A operação teve início em fevereiro, depois de o Grupo de Investigação e Análise de Tráfego da Guardia Civil da Extremadura (oeste), em colaboração com o comando de Tráfego de Badajoz, ter detetado a utilização de certificados de matrícula portugueses em dois veículos de gama alta, em relação aos quais havia denúncias de que tinham sido roubados em Portugal.

Os proprietários dos dois veículos foram identificados e, segundo a polícia, desconheciam os factos e foram enganados por uma cidadã portuguesa que lhes vendeu os automóveis.

Através do Centro de Cooperação Policial e Aduaneira de Caya, a portuguesa, de 44 anos, foi identificada, assim como outros elementos da rede, que a polícia portuguesa tenta atualmente localizar.

Durante a operação foram detetados outros quatro veículos em Badajoz, Sevilha e localidades de Alemanha e França, igualmente roubados em Portugal.

A rede comprava os automóveis aos legítimos proprietários pagando em cheque e, assim que estava na posse do veículo, revogava o cheque, tornando impossível a sua cobrança.