O Ministério Público acusou dois homens de homicídio qualificado e roubo agravado, no caso da morte de um taxista ocorrida em abril de 2014 no Bairro do Rego, em Lisboa, informou esta quinta-feira a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

De acordo com um comunicado publicado no site da PGDL, no mesmo caso, além dos dois homens, foi também acusada uma mulher, pelo crime de detenção de arma proibida.

«No essencial ficou indiciado que aqueles dois arguidos, conhecedores da rotina da vítima, no dia 28 de abril de 2014, pelas 23:00, aguardaram o ofendido, taxista de profissão, à porta de sua casa - na Rua Carlos Reis, em Lisboa - com a finalidade de virem a subtrair-lhe as quantias em dinheiro que sabiam existir na mesma casa», segundo o comunicado que a Lusa cita.

De acordo com a PGDL, as lesões causadas pelos arguidos ao taxista «provocaram-lhe como consequência necessária e direta a morte».

O Ministério Público considerou que «os arguidos agiram com crueldade, com a previsão da possibilidade da ocorrência da morte do ofendido em consequência dos males infligidos e praticaram este crime como meio de praticar um outro crime, o roubo das quantias em dinheiro existentes na residência do ofendido».

Os dois arguidos estão em prisão preventiva.