A Polícia Judiciária (PJ) anunciou ter constituído arguido um homem de 42 anos pela prática de simulação de crime, que terá denunciado ser vítima de crime de roubo com arma de fogo.

Fonte da PJ disse à agência Lusa que o arguido, motorista de profissão, é «um cidadão comum que foi acumulando dívidas do foro pessoal», tendo simulado o crime «para apresentar uma justificação credível perante credores».

Em comunicado, o Departamento de Investigação Criminal de Leiria da PJ informa ter esclarecido «factos alegadamente ocorridos no passado mês de agosto, na Marinha Grande, fraudulentamente participados como roubo com recurso a arma de fogo».

«O suposto ofendido pretendeu fazer crer às autoridades que tinha sido perseguido e abordado na via pública pelos ocupantes de um veículo automóvel que o constrangeram, mediante violência física e sob ameaça de arma de fogo, a entregar 400 euros que tinha na sua posse», adianta a PJ.

Segundo a PJ, na sequência da investigação desenvolvida «foi possível demonstrar a completa falsidade da versão apresentada».