A história desta quinta-feira passa-se toda no mar, num dos cenários que faz parte de quase todos os guias e postais do Algarve.

Damos um passo atrás no mapa para mostrar a zona das grutas, no concelho de Lagoa. O mar e o vento, armados em escultores, desenharam as falésias de rochas sedimentares. É a perfeita harmonia entre os elementos,

O nosso passeio tem a primeira paragem na Gruta do Farol, bem por baixo do Farol de Alfanzina. É a maior e mais profunda do Algarve e a força do mar sente-se de uma forma quase assustadora cá dentro.

Próxima paragem, a gruta que muitos consideram a mais bonita. A entrada é pequena e é preciso que a maré não esteja nem muito alta nem muito baixa para se conseguir entrar. É a Gruta do Paraíso ou Gruta Verde Esmeralda e faz jus a ambos os nomes.

O nosso barqueiro chama-se Ricardo. Tem 25 anos, é patrão de costa e apaixonado pelo mar. Trabalhar como guia nestes passeios é quase um sonho de menino. Quando não está aqui no mar, está no Alentejo onde se dedica à agricultura.

Ricardo acelera rumo ao Algar de Benagil, mas pelo caminho mostra-nos a gruta do coração e os Olhos do Diabo.

Vamos vendo as pequenas praias que se formaram entre as falésias até que vemos a praia de Benagil. E logo ali ao lado o postal. O Algar de Benagil. É de cortar a respiração. Mas há tantas pessoas a considerarem o mesmo que hoje esta pequena gruta com uma língua minúscula de areia está cheia de gente. Em vez de se ouvir o silêncio e o mar, hoje ouve-se barulho de gente, de barcos e música latina.​