Ross Clarke-Jones, um australiano de 51 anos, viu a vida por um fio quando, este domingo, foi arrastado pelas ondas da Nazaré, ao longo de 200 metros, para uma zona perigosa de rochas. O surfista, habituado a surfar ondas gigantes, escapou com uma concussão e ferimentos numa perna, e confessa que sentiu-se como se estivesse dentro de uma "máquina de lavar roupa".

“Agarrado às rochas, esperei um minuto para recuperar o fôlego e orientar-me. Como vi a onda vir na minha direção, esperei para conseguir escalar os 30 metros de penhasco.”, relembra Clarke-Jones, num vídeo divulgado no YouTube com as imagens onde se vê as dificuldades que passou. 

O australiano admite que teve de salvar-se sozinho. A zona de rochas onde esteve em dificuldades era de impossível acesso às ajudas que estavam no mar, nomeadamente às motas de água que estão de prevenção nas praias da Nazaré.

“Esta é a primeira vez que vejo alguém apanhado nesta zona. Estávamos cinco jet skis a tentar encontrá-lo e não conseguíamos ajudá-lo, nem vê-lo.”, disse Axi Muniain, uma das cinco pessoas que estavam no mar a prestar ajuda ao surfista que destaca ainda que houve dois fatores fulcrais para o salvamento de Clarke-Jones: a sua idade e o conhecimento do mar.

Na sua juventude, o surfista australiano já tinha passado por um acontecimento semelhante. Foi em Terrigal, na costa central de New South Wales, onde foi também obrigado a esconder-se atrás das rochas. 

Ross Clarke-Jones foi este ano nomeado para cinco prémios XXL Big Wave e conhece bem o mar da Nazaré, capaz de formar algumas das maiores ondas do mundo, que podem chegar aos 30 metros.