Uma empresa da indústria agroalimentar fez uma descarga de concentrado de tomate que poluiu a ribeira da Asseca, Santarém, tendo sido feita uma participação de crime ao Ministério Público, confirmou esta quinta-feira a Agência Portuguesa do Ambiente.

A descarga foi feita diretamente para aquela ribeira, afluente do rio Tejo, e provocou a morte de peixes, removidos hoje pela autarquia de Santarém em articulação com aquela agência.

Não foi especificada a quantidade de peixes removidos "para destino adequado".

A origem da descarga poluente foi detetada numa empresa da indústria agroalimentar de processamento de tomate.

A inspeção foi feita esta semana no seguimento de uma denúncia e confirmou "a degradação da qualidade da água e a morte de peixes naquele afluente do Tejo".

A empresa recebeu ainda um mandado para, no prazo de cinco dias, "implementar um sistema de retenção de emergência que possa rececionar, em caso de acidente, eventuais descargas".