A revista salienta, ainda, o valor histórico e artístico da livraria portuguesa e 

 

«Há rumores de que J.K.Rowling se inspirou na Livraria Lello enquanto escrevia Harry Potter (e ensinava inglês), em Portugal. Não demorou muito tempo para apreciar o potencial da Lello como musa», lê-se no início do artigo.

«A fachada neogótica desta antiga biblioteca mal sugere a opulência interior: madeira talhada, colunas douradas, tetos ornamentados, e uma deslumbrante escadaria vermelha iluminada por uma claraboia de vidro colorido».

A presença de obras de conhecidos escritores portugueses é também mencionada pela publicação, como parte do recheio literário da Lello. 

«A livraria centenária apresenta mais de 100 mil títulos diferentes em várias línguas, incluindo traduções para inglês de talentos portugueses como Fernando Pessoa e José Saramago».

 

Das 15 livrarias mais interessantes do Mundo, a «Time» realça o nome de outras quatro: a «Barter Books», em Inglaterra, a «Powerhouse Arena», em Brooklyn, a «Cafebrería El Péndulo», na Cidade do Méxido, e a «Shakespeare and Company», em Paris.