Foi já concluída a operação de resgate da tripulação do navio encalhado junto ao Bugio, na foz do rio Tejo. A ação foi levada a cabo por um helicóptero da Força Aérea Portuguesa,.

Foram retirados os 14 elementos que estavam a bordo, os dez da tripulação e os quatro elementos técnicos, que foram transportados para a Base Aérea do Montijo e um autocarro da Autoridade Marítima irá trazê-los para Lisboa".

O comandante Fernando Pereira da Fonseca detalhou à Lusa que a operação foi concluída cerca das 15:55: resgatou os dez tripulantes do cargueiro, dois representantes do armador e dois elementos da empresa contratada para tentar retirar a embarcação da foz do Tejo.

O resgate das 14 pessoas durou cerca de 55 minutos e foi efetuado por um helicóptero EH 101 Merlin, da Força Aérea Portuguesa, acrescentou à Lusa o porta-voz da Marinha e da Autoridade Marítima Nacional.

A mesma fonte revelou que o cargueiro "Betanzos", de bandeira espanhola, com 118 metros, "está fundeado e encalhado e não vai ficar com ninguém a bordo".

A embarcação encalhou com dez tripulantes cerca das 01:00 de terça-feira, à saída da barra de Lisboa, após uma falha total de energia e da tentativa de fundear.

Foram já feitas, pelo menos, três tentativas para desencalhar o navio.

As pessoas recolhidas pelo helicóptero foram transportadas para a Base Aérea do Montijo, mas "alguns tripulantes vão ser ouvidos como testemunhas para se conseguir recolher informação tendo em conta o acidente que aconteceu e para elaborar o auto da Polícia Marítima", informou Fernando Pereira da Fonseca.

"Até à presente data não há qualquer dano estrutural do navio, agora estamos a monitorizar permanentemente as condições de segurança do navio face à previsão de agravamento do estado do mar", explicou o porta-voz da Marinha.

As autoridades, após pelo menos três tentativas frustradas para desencalhar o cargueiro, aguardam agora por um rebocador de maiores dimensões que saiu de Gibraltar na quarta-feira e que "deverá chegar ao final da tarde" de hoje a Lisboa.

O porta-voz da Marinha adiantou que o plano de retirada do navio vai ser "definido na Capitania do Porto de Lisboa", não estando prevista qualquer ação para hoje, sendo avaliada na sexta-feira quando será realizada "uma operação mais complexa" para desencalhar o cargueiro.