Os militares da Guarda Nacional Republicana destacados na missão Poseidon Sea 2016, na Grécia, resgataram, na quinta-feira, 61 pessoas a bordo de uma embarcação semirrígida perto da ilha de Chios, informou esta sexta-feira a GNR.

Em comunicado, a GNR informa que os migrantes foram detetados pelos militares da Unidade de Controlo Costeiro (UCC) destacados na missão da Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da União Europeia (FRONTEX) numa embarcação sobrelotada com migrantes junto à fronteira com a Turquia.

Após a interceção, a cerca de duas milhas da costa grega, os militares rebocaram a embarcação, acompanharam e posteriormente entregaram os migrantes a uma embarcação romena que os transportou até ao porto de Chios.

Os migrantes intercetados não apresentavam ferimentos, tendo asido entregues às autoridades em segurança, refere o documento.

Trinta e dois militares da GNR participam, desde 1 de abril, na missão da FRONTEX nas ilhas gregas de Chios e Kos.

Prevenir, detetar e fazer cessar ilícitos relacionados com a imigração ilegal, o tráfico de seres humanos e o tráfico de droga, contribuindo para a salvaguarda de vidas humanas no mar, são objetivos da operação.

Desde o início da operação “Poseidon Sea 2016”, a GNR já resgatou 327 migrantes, tendo percorrido 2.258 milhas náuticas.

Na quinta-feira, a Polícia Marítima (PM) portuguesa anunciou ter resgatado 24 migrantes e refugiados, entre os quais uma grávida, ao largo da ilha de Lesbos, na Grécia.

A Polícia Marítima tem, desde 01 de outubro último, uma equipa na missão, no âmbito da colaboração com a agência Frontex, que controla as fronteiras europeias.

Desde o início da missão, a equipa da PM já resgatou 2.976 migrantes e refugiados, entre os quais 806 crianças, e deteve cinco facilitadores.

A equipa inclui 11 agentes da Polícia Militar e dois técnicos de manutenção.

(Foto de arquivo)