A Unidade de Controlo Costeiro resgatou na segunda-feira 56 migrantes, entre os quais 26 crianças, que viajavam numa embarcação de borracha na ilha grega de Samos, anunciou hoje a GNR.

Os migrantes - 26 crianças, 15 mulheres e 15 homens – foram resgatados a noroeste da cidade de Samos pelos militares portugueses destacados nesta ilha grega, no âmbito missão da Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da União Europeia (FRONTEX),

No decorrer do patrulhamento foi possível detetar e intercetar uma embarcação de borracha, com cerca de 10 metros, que transportava mais de meia centena de pessoas”, adianta a Guarda Nacional Republicana em comunicado.

Segundo a GNR, os migrantes “foram prontamente colocados a bordo da embarcação portuguesa por questões de segurança e transportados até ao porto de Malagari”, em Samos, onde foram entregues às autoridades locais.

Das crianças resgatadas, oito aparentavam menos de um ano de idade, acrescenta.

Em menos de uma semana, a força portuguesa destacada em Samos já resgatou mais de 100 pessoas.

O principal objetivo da operação Frontex é prevenir, detetar e reprimir ilícitos relacionados com a imigração ilegal, tráfico de seres humanos e outros crimes transfronteiriços, contribuindo fundamentalmente para a salvaguarda de vidas humanas no mar através de missões de busca e salvamento.