Trinta e nove migrantes foram resgatados no mar Egeu, junto à ilha de Samos, Grécia, depois de a Unidade de Controlo Costeiro da GNR ter detetado a embarcação onde se encontravam, anunciou esta sexta-feira aquela força de segurança.

Em comunicado, a GNR adiantou que a “Unidade de Controlo Costeiro (UCC), através da segunda força Thermal Vision Vehicle (TVV), a participar na operação “JO Poseidon Sea 2017”, no âmbito da Frontex, no mar Egeu, detetou na quarta-feira uma embarcação com 39 migrantes a bordo, que se deslocava entre a Turquia e a Grécia”.

A deteção por parte dos militares da GNR possibilitou que os migrantes fossem resgatados em segurança e encaminhados para as autoridades helénicas”, é referido na nota.

De acordo com a GNR, a TVV é um meio de vigilância de costa com capacidade de visão noturna, que permite detetar ilícitos relacionados com a imigração ilegal, o tráfico de droga e de seres humanos, contribuindo para a salvaguarda de vidas humanas no mar.

“Durante a participação da UCC nesta operação, a componente TVV já detetou dez embarcações, que transportavam 368 migrantes, tendo sido resgatados por forças marítimas europeias, que participam na operação em conjunto com a GNR”, é ainda referido.

No âmbito da agência europeia Frontex, militares da Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR participaram, desde o início do ano, em missões em Itália, Bulgária e quatro ilhas gregas, tendo resgatado um total de 1.099 migrantes, 433 das quais crianças.

O Frontex, designação para Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-membros da União Europeia, foi criado em 2004 para coordenar a cooperação entre os países da União Europeia para a gestão das fronteiras externas.