O estado clínico dos cinco homens internados no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) mantém-se complicado para três deles, sendo que um dos bombeiros se encontra com prognóstico «muito reservado» e dois com «reservado».

Os restantes dois têm um quadro clínico considerado pelos médicos como «favorável».

A informação consta de uma nota fornecida hoje à agência Lusa por aquele estabelecimento hospitalar, a qual refere que o caso clínico mais grave é o de um bombeiro de 50 anos, transferido do Hospital de Braga, com 19% do corpo queimado, que está intubado e ventilado.

Com prognóstico reservado encontram-se dois homens: um de 45 anos, proveniente de Bragança, com 26% da superfície corporal queimada, e outro, de 62 anos, oriundo de Foz Côa, com queimaduras em 17% do corpo. Ambos estão intubados e ventilados, refere a mesma nota.

Um homem de 19 anos, proveniente de Vila Real, com queimaduras em 20% do corpo, e um de 21 anos, oriundo de Viseu, com três por cento do organismo queimado, são os feridos com prognóstico «favorável».