São já 23 mil os portugueses que, nos últimos anos, se fixaram em Moçambique, à procura de uma vida melhor. A crise e a falta de emprego, em Portugal, levou-os a mudar de vida e a instalarem-se num país que cresce 7 a 8% ao ano, mas que continua a ser um dos mais pobres do mundo.

A nova vaga de emigrantes é, na grande maioria, constituída por quadros qualificados de empresas, muitos ligados à construção civil. Uns levaram as famílias, outros contam apenas com os amigos para uma vida que não é só facilidades.

Em Maputo, onde residem cerca de 17 mil portugueses, os salários são altos, mas o custo de vida também é elevado. As rendas das casas são caras, alguns produtos alimentares como os iogurtes, por exemplo, são quase um luxo.

Moçambique não é um «el dorado», mas a falta de mão-de-obra qualificada e a quantidade de infraestruturas por construir abrem horizontes de esperança e perspetivas de futuro que não se veem em Portugal.

«Moçambique: Um Futuro a Sul» é uma reportagem da jornalista Paula Costa Simões, com imagem de Pedro Batista e edição de Ana Alcobia, para ver esta segunda-feira, 2 de março, no Jornal das 8, em Repórter TVI.