O relatório «Portugal – Saúde Mental em Números 2014» revela que a região do Porto referenciou mais primeiros surtos psicóticos, enquanto a região de Lisboa e Vale do Tejo registou um aumento de tentativas de suicídio, nos jovens, oriundas sobretudo de classes sociais médias e médias/altas.

O mesmo documento revela ainda que em Lisboa foi registado um aumento de pressão no Serviço de Urgência no último trimestre de 2013, muito superior ao tradicional – de maio a julho.

Quanto à taxa de mortalidade por suicídio entre a população geral, o relatório aponta para um aumento em 2012, último ano com dados disponíveis. 

Entre 2008 e 2012, esta taxa variou entre 9,7 e 10,1 por 100 mil habitantes, sendo que os valores mais expressivos se verificam na faixa etária acima dos 65 anos, com uma taxa de 21,1 casos por 100 mil habitantes. 

O relatório sublinha, contudo, a existência de “fortes indícios de subnotificação” do suicídio como causa de morte, devido ao grande número de mortes por “causa indeterminada”, uma realidade que deverá mudar em 2014, com a entrada em vigor em janeiro do sistema SICO (Sistema de Informação de Certificados de Óbito), que permite conhecer dados mais atualizados e mais rigorosos. 

A Direção-geral de Saúde revelou o relatório «Portugal – Saúde Mental em Números 2014» que conclui que um em cada cinco portugueses sofre de perturbações psiquiátricas.