A Proteção Civil prevê uma subida de caudal do rio Douro nas próximas horas que pode ir «até um metro acima» do cais fluvial da Régua, onde já foram retirados os bens dos dois estabelecimentos comerciais ali instalados.

Manuel Saraiva, responsável pela Proteção Civil Municipal de Peso da Régua, disse à agência Lusa que, para as próximas horas, se prevê «algum aumento do caudal».

Durante a manhã, o rio subiu de forma inesperada. Para atingir esta plataforma, o Douro sobe entre «o metro e meio aos dois metros» acima do leito normal.

Manuel Mota, presidente da Associação dos Amigos Abeira Douro, proprietária de uma loja de artesanato instalada no cais fluvial da Régua, referiu que a subida das águas foi «repentina» e a retirada dos bens já foi feita «com os pés na água».

Entretanto, os agentes da Proteção Civil foram também mobilizados para ajudar a retirar equipamentos e materiais de um bar ali construído, de forma a minimizar os prejuízos.

«O Douro prega-nos algumas partidas porque temos alguns afluentes que não são controlados pelas barragens, como por exemplo o Corgo e o Varosa. O conhecimento que nós temos é que a bacia hidrográfica de todo o rio Douro está muito, muito sobrecarregada», salientou Manuel Saraiva.

Estas situações em que o Douro galga o cais da Régua repetem-se frequentemente. Os dois estabelecimentos comerciais estão construídos em leito de cheia.

«É só agilizar todos os meios de apoio para que o proprietário do bar consiga minimizar os prejuízos e retirar todos os bens que tem dentro do estabelecimento», referiu o responsável local pela Proteção Civil.

Manuel Saraiva referiu ainda que entre as 20:00 desta sexta-feira e as de sábado vai ser acionado o alerta azul para ventos e precipitações fortes.