O diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Manuel Palos, disse que os aeroportos de Lisboa e Faro vão ser reforçados, durante o verão, com inspetores deslocados de outras delegações do SEF.

«A planificação do controlo de fronteiras está devidamente feita para os principais aeroportos e sobretudo para os aeroportos de Lisboa e Faro», disse, esta segunda-feira, à agência o diretor nacional do SEF, à margem da cerimónia que assinalou os 38 anos daquele serviço de segurança.

Manuel Palos adiantou que «o reforço efetivo da fronteira» nos aeroportos é a preocupação do SEF durante o período de verão, optando este serviço de segurança por uma «gestão flexível».

Garantindo que «não vai haver sobrecarga em termos de horários para os inspetores do SEF» durante o verão, o mesmo responsável afirmou que o aeroporto de Faro já foi reforçado, na área de fronteiras, com funcionários que trabalham na direção regional do Algarve.

Manuel Palos acrescentou que, a partir de 01 de julho, vai ser reforçado com inspetores que trabalham em delegações regionais do interior do país, «onde a pressão de fronteira não se faz sentir com tanta acuidade».

Também o aeroporto de Lisboa vai ter, a partir de 01 de julho, mais inspetores deslocados da direção regional de Lisboa e da direção central de investigação o SEF, disse, sublinhando que, durante este período, é possível libertar alguns inspetores-adjuntos que trabalham na investigação criminal devido ao encerramento dos tribunais.

Sobre o concurso que o SEF abriu para a admissão de 45 novos inspetores e está parado devido a uma providência cautelar que deu entrada no Tribunal Administrativo do Círculo de Braga, Manuel Palos afirmou que provavelmente esta semana vai haver uma decisão.

«Durante esta semana haverá uma decisão. O SEF vai atuar de acordo com a decisão específica que for dada pelo tribunal», disse, adiando que os objetivos sobre os prazos para o concurso mantêm-se.

Manuel Palos explicou que o SEF quer acabar a fase de seleção até ao final do ano para que o curso se inicie em janeiro.

O concurso para novos inspetores é destinado a funcionários públicos com licenciatura e não devem ter idade superior a 40 anos.

O sindicato que representa os inspetores do SEF tem afirmado que um dos principais problemas do SEF é a falta de inspetores, uma vez que desde 2004 não há novas admissões neste serviço de segurança.

O diretor do SEF admitiu ainda à Lusa que os 45 novos inspetores vão «de facto colmatar algumas falhas» que este serviço tem em alguns departamentos.