A GNR recebe cada vez mais denúncias através de mensagens privadas na sua página do Facebook.
 
Desde janeiro, chegaram à autoridade através da rede social 2.038 queixas e pedidos de informações, com os maus-tratos a animais no topo das denúncias (464 mensagens), escreve o Jornal de Notícias na sua edição desta terça-feira.
 
Em menor número chegam as comunicações de violência doméstica, num total de 32 nos últimos dez meses.
 
Entre as informações de trânsito (413 pedidos), perguntas sobre recrutamento (506 mensagens) e assuntos diversos (536), há também lugar para mensagens de agradecimento (87).
 
Com uma média de 50 mensagens privadas por mês só no que respeita a maus-tratos a animais e a violência doméstica, a GNR tem já três militares dedicados a tempo inteiro às redes sociais e que respondem às mensagens num tempo médio de uma hora.
 
“Permite dar uma resposta mais célere e fomentar uma maior proximidade e confiança com o cidadão. Constatamos que as pessoas têm maior predisposição em denunciar situações através das redes sociais, do que por contacto telefónico e muito menos em se deslocarem a um posto da GNR. A realidade que constatamos noutros países da Europa é a de que cada vez mais as pessoas solicitam informações às forças de segurança através das redes sociais”, explicou fonte da GNR ao JN.
 
Até 2020, a Guarda Nacional Republica pretende lançar os projetos “guarda digital” e “posto virtual” com dois militares em permanência, numa fase inicial, para aumentar ainda mais a proximidade com as pessoas.