José Sócrates recorreu para o Tribunal Constitucional do acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa que o manteve em prisão preventiva.
 
A defesa do antigo primeiro-ministro confirmou à TVI que o Tribunal Constitucional admitiu o recurso na semana passada, o que significa que os juízes vão analisar as inconstitucionalidades invocadas pelo arguido.
 
Em março, o Tribunal da Relação de Lisboa indeferiu o recurso do ex-governante relativamente à prisão preventiva, invocando que, além de fortes indícios dos crimes, existia também perigo de perturbação do inquérito.
 
Sócrates foi detido a 21 de novembro do ano passado e está indiciado por corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais. É neste momento o único arguido do processo “Marquês” detido em prisão preventiva, depois do seu amigo e também arguido no processo, Carlos Santos Silva, ter visto a medida de coação revista e passado para “prisão domiciliária”.
 
O antigo primeiro-ministro está detido na cadeia de Évora desde novembro.