Um dos reclusos que fugiram no dia 17 de novembro do Estabelecimento Prisional de Castelo Branco foi esta quinta-feira detido em Gavião, no distrito de Portalegre, disse à Lusa fonte da GNR.

De acordo com fonte do Comando Territorial da GNR de Portalegre, o detido é o mais novo dos três reclusos, ou seja, o homem de 27 anos.

A mesma fonte adiantou à Lusa que a detenção foi feita por elementos da GNR em colaboração com a Polícia Judiciária, remetendo mais esclarecimentos para aquela força policial.

Os três reclusos fugiram há menos de duas semanas do Estabelecimento Prisional de Castelo Branco e estavam a monte. A GNR e a PSP procedeu a buscas a todo o território nacional para localizar os três homens considerados perigosos e que feriram na fuga três guardas prisionais.



A monte continuam os homens de 49 e 55 anos. Os três reclusos, todos da mesma família, estavam condenados por crimes como homicídio, tentativa homicídio, burla e furto.

O Sindicato Independente do Corpo da Guarda Prisional queixou-se que este estabelecimento tem uma «falta de homens bastante grave». «Ontem, por exemplo, para 130 reclusos estavam 14 guardas ao serviço, sendo que só seis estavam em contacto direto com os prisioneiros», lamentou, exigindo «pelo menos o dobro do contingente» para assegurar as condições de segurança necessárias.

A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) anunciou então que mandou instaurar um processo de inquérito para averiguar as causas da fuga.

Reclusos a monte suspeitos de homicídio em Mação

Um outro homem foi detido pela PJ em Gavião, que estava evadido da cadeia de Paços de Ferreira desde 2009 e é suspeito de ter cometido um assalto com homicídio em 2012, em Mação, Santarém.

Fonte da PJ disse à Lusa que, presumivelmente, um dos coautores deste homicídio em Mação é um dos dois foragidos da cadeia de Castelo Branco que ainda se encontram a monte.

«Na mesma operação foi encontrado e detido um outro homem, com 35 anos, suspeito da prática de um crime de homicídio e contra o qual existia um mandado de detenção ativo, no âmbito de um inquérito em investigação no Departamento de Investigação Criminal de Leiria», explicou a PJ em comunicado.

Neste assalto com homicídio em Mação terão estado envolvidas pelo menos quatro pessoas: uma terá sido detida em outubro e outra em julho.

A 25 de outubro, o Departamento de Investigação Criminal de Leiria da PJ anunciava ter identificado e detido o segundo suspeito de um crime de roubo, do qual resultou a morte da vítima, em 2012, em Mação.

Um dos suspeitos, vendedor ambulante de 30 anos, aguarda o desenrolar do processo em prisão preventiva, medida de coação aplicada após o primeiro interrogatório judicial.

O crime ocorreu no dia 10 de setembro de 2012, em Mação. Pelo menos quatro homens terão assaltado uma residência e amarrado e agredido uma vítima, provocando-lhe a morte após golpes na cabeça.

Os assaltantes roubaram uma carteira que continha cerca de 140 euros em dinheiro.

Em julho deste ano, em colaboração com a GNR, a PJ já tinha detido o primeiro presumível coautor do crime, um homem de 28 anos, sem profissão, que também se encontra em prisão preventiva.