Dezanove militares portugueses partem na madrugada de sexta-feira da Base Aérea do Montijo para a República Centro-Africana (RCA), onde a Força Nacional (FND) irá comandar a missão de treino da União Europeia. A partida estava prevista para a madrugada de quinta-feira, mas foi adiada por 24 horas, devido a motivos técnicos. 

A missão de treino da União Europeia na RCA será pela primeira vez comandada por Portugal, pelo brigadeiro-general Hermínio Maio, e é composta por 170 militares de 12 países.

O contingente português integra 40 militares, incluindo um Comando, um Estado-Maior e o corpo de formadores, na maioria do Exército, mas também há elementos da Força Aérea e da Marinha.

Os primeiros 21 militares já estão na República Centro Africana, em Bangui, sendo que os restantes 19 partem às 01:00 de quinta-feira, divulgou hoje o Estado-Maior General das Forças Armadas.

A missão da União Europeia visa o "aconselhamento estratégico ao ministério da Defesa e ao Estado-Maior General das Forças Armadas Centro-Africanas, formação de quadros e criação de programas de treino para as unidades militares locais", segundo o EMGFA.

Tarefas previstas para 2018:

  • Planeamento e execução de atividades de assessoria
  • formação
  • treino operacional às Forças Armadas da RCA, em Bangui, em coordenação com a delegação da União Europeia, com a missão das Nações Unidas e, outras organizações internacionais e não-governamentais, presentes na capital da RCA

As Forças Armadas Portuguesas têm ainda na RCA, mas ao serviço da missão das Nações Unidas, mais 160 militares portugueses na força de reação rápida, cenários que se irá manter este ano.

Veja também: