Foi dada "ordem de encerramento" da Escola Básica do primeiro ciclo de São Pedro, em Ponta Delgada, nos Açores, confirmou à Lusa o delegado de saúde da cidade. O estabelecimento de ensino estará fechado à próxima segunda-feira, devido a uma "infestação de roedores".

Eduardo Cunha Vaz adianta que foi alertado esta quarta-feira à tarde para a situação na "Escola da Mãe de Deus", como é usualmente conhecida, onde terão sido encontrados "dejetos de roedores" e foram registados "alguns estragos".

O delegado optou assim por encerrar até à próxima segunda-feira a Escola Básica do Primeiro Ciclo e Jardim de Infância de São Pedro, em Ponta Delgada, que acolhe cerca de 230 alunos, para proceder à "desratização" e garantir que esta "seja feita com eficácia".

Na segunda-feira, o delegado de saúde concelhio vai proceder a uma "reavaliação" e posteriormente decidir se as aulas arrancam na terça-feira ou se a escola permanecerá "mais alguns dias encerrada".

A escola apresenta"problemas estruturais e algumas portas de entrada para os roedores, nomeadamente por se tratar de um edifício antigo com uma porta de madeira já ruída e janelas sem redes mosquiteiras".

"Não é novidade"

A presidente do conselho executivo da Escola Básica Integrada Roberto Ivens, que tem a gestão da Escola Básica do Primeiro Ciclo e Jardim de Infância de São Pedro, admite "o histórico" relativamente ao aparecimento de roedores naquela escola.

Sim já terá acontecido, aliás tem acontecido, os ratos proliferam pela ilha [de São Miguel] e não é novidade", admitiu Adelaide Gomes.

A responsável lembra que em dezembro tinham sido colocadas algumas armadilhas e que "só ao longo do dia [de ontem, quarta-feira] se foi apercebendo da gravidade da situação" e que por isso a escola funcionou normalmente. "Logo de início achou-se que não seria nada de grave, depois mais para o final do dia é que se conseguiu perceber a gravidade da situação, mas desde cedo que estávamos em contacto com a Câmara Municipal para que se atuasse".

A "prioridade neste momento é garantir a segurança dos alunos" para que tudo "volte à normalidade". A presidente do consleho executivo admite encontrar uma solução alternativa caso o delegado de saúde mantenha a escola encerrada na próxima semana. "Haveremos de encontrar uma solução para minorar os danos provocados aos alunos".

Adelaide Gomes lembrou que já foi lançado "um concurso internacional para a execução de uma obra de grande dimensão" para remodelar aquela escola centenária, que se espera que arranque ainda este ano.