Dois inspetores da Segurança Social estiveram esta quarta-feira na Casa dos Marcos, unidade para doentes raros criada pela associação Raríssimas.

Segundo apurou a TVI, esta visita serviu para formalizar e preparar a inspeção que vai começar esta quinta-feira.

Fontes ligadas ao processo garantem que esta inspeção vai ser "longa e demorada".

A partir de quinta-feira, os inspetores vão começar a verificar documentos e falar com as pessoas envolvidas.

Em causa, a reportagem da TVI, que dá conta de irregularidades nas contas da Raríssimas.

Na sequência desta reportagem, houve já duas demissões:

  • a do agora ex-secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, que se demitiu depois de a TVI ter noticiado que foi contratado entre 2013 e 2014 pela associação "Raríssimas", com um vencimento de três mil euros por mês, tendo recebido um total de 63 mil euros e de ter entrevistado o próprio, com provas que o comprometem no caso da Associação Raríssimas. Foram várias as contradições do ex-secretário de Estado. 
  • a da presidente da associação Raríssimas, Paula Brito e Costa, que se diz vítima de uma "cabala muito bem feita". 

Ontem, dia da demissão de Paula Brito e Costa, a direção da Casa dos Marcos tratava já Paula Brito e Costa como ex-presidente.