A Justiça indeferiu um requerimento do Hospital Padre Américo, de Penafiel, para se constituir assistente num processo em que uma mulher de Lousada é acusada de ter raptado um bebé naquela unidade hospitalar, em Junho do ano passado.

De acordo com fonte judicial, citada esta quinta-feira pela Agência Lusa, a pretensão do hospital foi indeferida também em sede de recurso.

Ao anunciar, dia 25 de Fevereiro, que o Hospital pretendia constituir-se assistente no processo, fonte da unidade afirmou a decisão se prendia com o facto da arguida «ter colocado em causa o bom-nome» do hospital e dos seus profissionais.

O julgamento está marcado para dia 31, sendo a arguida Simone F., 21 anos, acusada por sequestro agravado, crime com uma moldura penal de dois a 10 anos de prisão. Um ex-namorado de Simone é co-arguido no processo.