Um luso-moçambicano foi libertado ao fim do dia de sexta-feira depois de um mês e meio de cativeiro, num dos raptos mais longos que afetou a comunidade portuguesa em Moçambique, disse este sábado à Lusa uma fonte próxima da família.

O homem de pouco mais de 20 anos, com nacionalidades portuguesa e moçambicana, foi raptado há cerca de um mês e meio durante o dia num centro comercial na Matola, cidade-satélite de Maputo. O caso só foi solucionado na sexta-feira, adiantou a mesma fonte, sem mais detalhes.

A vaga de raptos em Moçambique nos últimos anos conheceu o seu pico no final de 2013 e, até ao momento, foram registados dez casos na comunidade portuguesa.