A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta terça-feira ter detido um homem de 47 anos, no Sabugal, por ter simulado o próprio rapto com o alegado objetivo de incriminar outra pessoa com quem se encontra desavindo.

O Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda refere em comunicado divulgado esta terça-feira que o homem foi detido após terem sido reunidos "irrefutáveis indícios de simulação do seu próprio rapto", alegadamente ocorrido ao final da tarde de domingo e da responsabilidade de cinco homens, entre os quais um seu irmão.

A nota refere que após ter sido participada a situação "foram de imediato desencadeadas todas as medidas tidas por necessárias e adequadas à ocorrência criminal em hipótese".

O homem seria localizado duas horas mais tarde, "acorrentado de pés e mãos e amarrado a uma pequena árvore, numa zona de vasta e densa vegetação, junto à barragem do Sabugal, inacessível à circulação de qualquer veículo automóvel".

Após ter sido libertado, com recurso a meios e a ferramentas de uma viatura de desencarceramento dos Bombeiros Voluntários do Sabugal, o homem foi inquirido por elementos da PJ aos quais confessou "ter inventado toda a história e ter sido o único protagonista", esclarece a nota.

De acordo com a PJ da Guarda, o crime de rapto simulado pelo detido "visava imputar responsabilidade criminal a uma outra pessoa com quem aquele se encontra desavindo há já algum tempo".

O detido foi restituído à liberdade e notificado para comparecer perante a autoridade judiciária competente para interrogatório judicial ou para eventual julgamento em processo sumário.