As 10 escolas com melhores resultados nos exames do secundário são estabelecimentos privados, enquanto que as 10 com piores resultados se tratam de estabelecimentos públicos. Esta é a conclusão do ranking elaborado pela agência Lusa tendo em conta as médias dos alunos internos das escolas onde se realizaram mais de cem provas.

Numa lista de 521 estabelecimentos de ensino, os primeiros 27 lugares das escolas com melhores médias nos exames nacionais do secundário são ocupados por colégios privados. A primeira escola pública da lista aparece em 28º lugar, numa subida de cinco lugares comparado com o ano anterior.

Veja também:

As melhores escolas, pública e privada, estão localizadas no Porto: o Colégio Nossa Senhora do Rosário, com uma média de 15,02 valores, e a escola Secundária Garcia de Orta, com uma média de 12,91 valores.

O top 10 das escolas com melhores resultados nos exames divide-se entre os distritos Lisboa e Porto, com exceção feita para o Colégio de D. Diogo de Sousa, em Braga, o quinto classificado da lista.

No que diz respeito às dez escolas públicas com melhores resultados, estas encontram-se nos primeiros 50 lugares da lista, sendo que, muitas vezes, as diferenças entre elas só são percetíveis olhando para as centésimas.

As 10 escolas com melhores resultados nos exames:

Escola

Tipo de ensino

Localização Média (sem exames) Média dos Exames
Colégio Nossa Senhora do Rosário Privado Porto 17,38413361 15,02546973
Colégio Manuel Bernardes Privado Lisboa 15,35406699 14,71100478
Colégio São João de Brito Privado Lisboa 14,78476821 14,67384106
Colégio de Santa Doroteia Privado Lisboa 15,0096463 14,47491961
Colégio D. Diogo de Sousa Privado Braga 17,25649913 14,44159445
Colégio St. Peter's School Privado Palmela 15,02403846 14,35144231
Salesianos de Lisboa Privado Lisboa 15,35572519 14,33816794
Colégio Nova Encosta Privado Paços de Ferreira 15,78761062 14,12477876
Colégio Valsassina Privado Lisboa 14,81896552 14,06982759
Salesianos do Estoril - Escola Privado Estoril 14,86448598 13,92943925

Quanto às 10 escolas com piores resultados, este ano, as notas mais baixas voltaram a registar-se em escolas inseridas em realidades distintas, desde o Barreiro, no distrito de Setúbal, às ilhas dos Açores e em Timor-Leste, onde se verificaram médias negativas e disparidades significativas entre a média de exame e a média da nota atribuída pela escola aos alunos

De acordo com o ranking, o top 10 dos piores estabelecimentos escolares retrata, invariavelmente, escolas inseridas em bairros mais carenciados e onde a grande maioria dos alunos tem apoio social escolar e os pais têm pouca escolaridade, fatores que condicionam o sucesso académico dos estudantes. 

As 10 escolas com piores resultados nos exames:

Escola Tipo de Ensino Localização Média (sem Exames) Média dos Exames
Escola Secundária Seomara da Costa Primo Pública Amadora 12,625387 8,402167183
Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe Pública São Tomé 13 8,384745763
Escola Básica e Secundária de Santa Maria Pública Santa Maria, Açores 13,48695652 8,310434783
Escola Básica e Secundária Prof. Mendes Remédios Pública Nisa, Portalegre 12,54385965 8,304385965
Escola Básica e Secundária da Povoação Pública São Miguel, Açores 12,42519685 8,25984252
Escola Secundária Matias Aires Pública Agualva, Sintra 12,51690821 8,22705314
Escola Secundária D. Manuel Martins Pública Setúbal 12,66153846 8,103076923
Escola Portuguesa Ruy Cinatti Pública Dili, Timor-Leste 12,63809524 7,602857143
Escola Básica e Secundária de Nordeste Pública São Miguel, Açores 12,96491228 7,385087719
Escola Básica e Secundária de Santo António Pública Santo António da Charneca, Setúbal 12,90625 7,078125

Olhando apenas para os rankings baseados nos exames, no ensino secundário, apesar de a média global ter baixado em relação ao ano anterior, há mais escolas em terreno positivo. Entre 521 estabelecimentos, 391 - cerca de 75% - conseguiram "passar" na barreira das provas externas.

As raparigas voltaram a ter melhores prestações, registando uma média de 11,06 valores, quatro décimas acima dos rapazes, que se ficaram pelos 10,72.

Apesar dos progressos alcançados por muitas escolas, a maioria dos estabelecimentos não consegue que pelo menos metade dos seus alunos tenham percursos de sucesso, sem retenções e com aprovação nos exames.

Apenas 15,7% dos estabelecimentos do ensino secundário garantem um percurso sem falhas à maioria dos seus alunos.