A cadela que no domingo atacou uma criança em Martim, Barcelos, provocando-lhe ferimentos na face, vai continuar, para já, à guarda dos proprietários, mas o futuro do animal será decidido pelo Ministério Público, informou hoje a GNR.

O comandante do Destacamento da GNR de Barcelos, Rui Brito, disse à Lusa que a cadela de raça Rottweiler tem licenças e vacinas em dia, mas não tem seguro de responsabilidade civil, que é «obrigatório» quando, como é o caso, se trata de animal de raça potencialmente perigosa.

Hoje de manhã, o veterinário municipal esteve no local e decidiu que a cadela ficará provisoriamente à guarda dos proprietários, por «estarem garantidas condições de segurança».

Entretanto, o caso foi participado ao Ministério Público, a quem caberá a última palavra sobre o futuro do animal.

O «Jornal de Notícias» escreve na sua edição de hoje que o incidente ocorreu no domingo, na casa de familiares da criança, um menino de 7 anos.

A criança ter-se-á assustado com a cadela e começou a fugir, provocando a reação do animal.

De acordo com o JN, a vítima sofreu ferimentos na cara, tendo sido transportada para o Hospital de Barcelos por familiares.

Já nas urgências, o menino foi encaminhado pelos bombeiros de Barcelinhos para o Hospital de Braga, onde foi submetido a uma intervenção cirúrgica, encontrando-se «estável».

Rui Brito disse que a cadela já estava na posse daquela família há quatro anos e «anteriormente nunca tinha tido qualquer reação violenta».