Um idoso morreu, esta terça-feira, durante uma queimada, no concelho de Miranda do Douro, a segunda vítima no último mês no Nordeste Transmontano nas mesmas circunstâncias, noticia a agência Lusa.

A 16 de Fevereiro um outro idoso de setenta anos ficou gravemente ferido numa queimada em terrenos agrícolas, no concelho de Mogadouro.

A última vítima é um octogenário que terá sido surpreendido pelas chamas da queimada agrícola que o próprio estaria a realizar, próximo da aldeia de Palaçoulo.

De acordo com fonte dos bombeiros, a vítima teria dificuldade de locomoção e não terá conseguido fugir das chamas, que originaram um incêndio florestal.

As queimadas agrícolassão apontadas pelas autoridades como a principal causa dos incêndios que deflagram nesta época do ano.

A lei obriga a que para esta prática de limpeza dos terrenos agrícolas seja solicitada a presença dos bombeiros, o que raramente acontece.

A falta de vigilância e acompanhamento leva a que as chamas se descontrolem, originando incêndios florestais e vitimando os autores das queimadas que ficam encurralados pelo fogo.