Já foram concluídas as autópsias aos corpos das 13 pessoas que morreram por causa da queda de uma árvore no Funchal, divulgou o gabinete da ministra da Justiça, numa nota enviada às redações.

Na sequência da tragédia ocorrida na Madeira, com a queda de árvore na freguesia do Monte no Funchal, foram concluídas as 13 autópsias no final da manhã de hoje, pelo Gabinete Médico-Legal e Forense da Madeira (GMLF), após a competente autorização, ontem prestada, pelo Ministério Público do Funchal".

 

O gabinete foi reforçado com o apoio de 4 técnicos da equipa médico-legal de Intervenção em Desastres de Massa do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF)  do continente (dois médicos, um técnico superior e um técnico ajudante). A deslocação foi "prontamente assegurada" pela Força Aérea Portuguesa a pedido do Ministério da Justiça e com o apoio da Proteção Civil da Região Autónoma da Madeira.

Este reforço teve como objetivo conferir maior celeridade na conclusão das perícias e consequente entrega dos corpos às famílias, permitindo-lhes abreviar a realização das exéquias fúnebres tentando-se, por esta via, minimizar o sofrimento causado por este trágico acidente".

A tutela não adianta, porém, quando exatamente é que os corpos vão ser entregues às famílias.

O Conselho de Administração do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira já tinha dito, esta manhã, que as autópsias estavam em fase de conclusão. Adiantou também que os sete feridos que continuam internados mantêm-se estáveis.

O presidente da câmara municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, deu hoje a indicação de que as primeiras informações técnicas sobre a queda da árvore serão divulgadas amanhã, sexta-feira.