A PSP deteve nos últimos trinta dias 1.450 pessoas e apreendeu 130 armas no âmbito da operação “Verão Seguro” e os crimes que mais detetou foram condução com excesso de álcool, tráfico de droga e condução sem carta.

Num balanço divulgado, esta terça-feira, da primeira fase da operação “Verão Seguro”, de 15 de junho a 15 de julho em todo o país, a PSP especifica que foram detidas 398 pessoas por excesso de álcool, 161 por tráfico de droga e 145 por condução sem habilitação legal.

Destacam-se ainda perto de 400 detenções no cumprimento de mandados, 157 por furto, 11 por roubo e 25 por posse de arma ilegal”, diz-se no comunicado.

A operação dura até 15 de setembro e destina-se, explica a PSP, a aumentar a sensação de segurança nas zonas balneares, áreas turísticas e comerciais, em zonas residenciais e respetivos parques de estacionamento, e nos principais eixos rodoviários.

Nesta primeira fase foram apreendidas 133 armas (entre elas 59 de fogo e 24 brancas) e mais de 96.500 doses de droga (a maior parte haxixe mas também 3.600 doses de cocaína e 2.700 de heroína).

Na área da fiscalização rodoviária foram registados no último mês 4.351 acidentes de viação, dos quais resultaram sete mortos, 56 feridos graves e 1.342 feridos ligeiros.

Foram fiscalizadas 67.300 viaturas e detetadas 14.700 infrações rodoviárias (4.800 por excesso de velocidade registado em radar).

Além das 2.150 infrações por condução com excesso de álcool no sangue a PSP salienta 620 casos de utilização de telemóvel durante a condução, 540 casos de falta de inspeção e 490 de falta de cadeira para crianças.

A operação “Verão Seguro” contempla a vigilância de casas (as pessoas avisam a PSP de que vão de férias e os agentes fazem a vigilância nesse período), tendo sido vigiadas 554 casas no período da primeira fase.