Um grupo de três carteiristas foi detido na quinta-feira em Lisboa, por suspeita de 22 furtos num valor superior a 20 mil euros, realizados em estações da CP e em centros comerciais, anunciou esta sexta-feira a PSP.

A PSP deteve os dois homens e uma mulher, com idades entre os 51 e os 57 anos, no âmbito de uma operação de combate a carteiristas, que decorreu entre as 09:00 e as 16:00, com buscas efetuadas no Bairro Padre Cruz, na zona de Benfica e na Baixa de Lisboa.

Segundo o comunicado da polícia, os três carteiristas atuavam nas estações da CP - Comboios de Portugal do Oriente, de Entrecampos e de Sete Rios e em vários centros comerciais da cidade.

Tinham como alvo preferencial «turistas que faziam as viagens de longo curso, a quem furtavam as carteiras depois de oferecer ajuda».

«Nos centros comerciais, o objetivo era seguir as vítimas até às lojas de câmbios, verificar as quantias levantadas e posteriormente segui-las até conseguirem habilmente furtar o dinheiro», descreve a PSP.

O grupo organizado era «particularmente ativo» e liderado pelo homem mais velho, que usava uma indumentária cuidada, de pasta na mão, e nunca cometia o furto propriamente dito, mas facilitava a sua prática ao dificultar ou bloquear a passagem das vítimas, normalmente oferecendo-lhes ajuda.

Ainda na quinta-feira, quando a PSP iniciou a operação, «deparou-se com os detidos a efetuar mais um furto qualificado em flagrante delito, a um estrangeiro que viajava de Entrecampos para Lagos, a quem furtaram a carteira, que continha 65 dólares canadianos, 141 dólares americanos e 875 euros», revela a polícia.

A investigação teve início em setembro de 2014, decorrente de queixas, e permitiu também a apreensão de vários artigos que se suspeita terem sido furtados, nomeadamente o confisco de várias notas estrangeiras.

Todos os detidos têm antecedentes criminais pelo mesmo tipo de crime e o líder do grupo encontra-se atualmente a cumprir a medida de coação de apresentações bissemanais.