Sete efetivos da Polícia de Segurança Pública (PSP) foram expulsos, este ano, da corporação na sequência de processos disciplinares e 21 encontram-se suspensos de funções, disse hoje à agência Lusa fonte da corporação.

De acordo com dados solicitados pela Lusa à PSP, vinte e um polícias encontram-se suspensos de funções «por serem suspeitos/arguidos em processos-crime por crimes graves como roubos, furtos sequestros ou coação, entre outros».

Os dados foram solicitados na sequência da publicação em Diário da República, na passada sexta-feira, da aplicação de duas penas de demissão a outros tantos agentes da PSP.

Sobre a origem destas demissões, a direção nacional da PSP esclareceu que um dos efetivos foi demitido por ter morto a mulher enquanto o outro se deveu a «ausência ilegítima (abandono do lugar)».

Em 2012, foram expulsos da PSP seis polícias, em 2011 sete, em 2010 nove e em 2009 vinte, sendo que este número abrange os processos disciplinares que transitaram de 2008, segundo os dados fornecidos pela direção da Polícia de Segurança Pública.

Quanto ao total de processos disciplinares instaurados em 2012, a direção nacional da PSP disse que se cifram em 1.693.

No que respeita a penas disciplinares, foram aplicadas, também em 2012, 107 repreensões escritas, 274 multas, 61 suspensões, seis aposentações compulsivas e onze demissões.