A PSP deteve quatro pessoas por exerceram ilegalmente a atividade de segurança privada na região do Grande Porto, revelou hoje à agência Lusa fonte policial.

A operação, a cargo do Departamento de Segurança Privada da PSP, disse que foram ainda constituídas arguidas duas empresas de limpeza e serviços gerais por suspeitas de contratarem serviços de segurança privada a pessoas sem habilitação legal para tal.

“As empresas não têm alvará de segurança privada, são de outro ramo económico, mas estavam a facilitar o serviço de segurança privada aos locais onde estavam a trabalhar os agora detidos”, referiu a fonte.

A investigação começou a partir de denúncias feitas ao Departamento de Segurança Privada que, depois, decidiu verificar a veracidade das mesmas, tendo apanhado os “falsos” seguranças porteiros em flagrante delito, acrescentou.

Os suspeitos, com idades entre os 30 e 40 anos, já haviam trabalhado como seguranças privados para empresas do ramo, mas que entretanto deixaram de existir.

Neste momento, os arguidos estão impedidos de exercer essas funções por não terem habilitação legal, afiançou a fonte.

A investigação está agora sob a alçada da Polícia Judiciária (PJ), frisou.