Cerca de 600 elementos da PSP e da GNR afetos à gestão dos bares e messes destas duas forças de segurança vão ser libertados para o trabalho operacional a partir de janeiro de 2017, anunciou a ministra da Administração Interna.

“A partir de 1 janeiro, vamos conseguir libertar 600 polícias de toda a gestão das messes e bares da PSP e da GNR”, disse Constança Urbano de Sousa, na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

Esta é um das medidas para colocar mais polícias na atividade operacional.

“Estamos naturalmente empenhados em fazer uma grande racionalização dos recursos humanos das forças de segurança e libertar o maior número de efetivos para as funções para as quais foram recrutados”, sustentou.

Constança Urbano de Sousa adiantou que, através da recente criação do sistema de transporte de armas e explosivos, é possível “libertar 30 elementos da GNR e 10 da PSP das escoltas”.

A ministra afirmou ainda que a desmaterialização do processamento das contraordenações vai também permite que os policias não tenham que fazer trabalho administrativo e sejam libertados para a atividade operacional.