O Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP anunciou esta quarta-feira a detenção de um homem, polícia de profissão, de 28 anos, pelo crime de falsificação de matrículas, após uma perseguição que terminou na zona de Alcântara.

Em comunicado, o Cometlis explica que uma patrulha descaracterizada da direção de trânsito da PSP detetou um motociclo em excesso de velocidade no IP7 (Eixo Norte/Sul), na noite de terça-feira.

«Quando os polícias se preparavam para sair da viatura policial para efetuar a identificação do condutor, este iniciou novamente a marcha e abandonou o local em grande velocidade em direção à Ponte 25 de Abril, pelo que lhe foi movida perseguição, tendo vindo a ser intercetado, já na zona de Alcântara, junto às Docas», explica o Cometlis.

Fonte policial confirmou à agência Lusa que o suspeito é um agente policial colocado na divisão de segurança e instalações, do Cometlis. A mesma fonte acrescentou que, além do processo-crime, o polícia vai ainda ser alvo de um processo disciplinar interno.

Depois de ter sido intercetado, o suspeito disse que o «motociclo não se encontrava com a respetiva placa de matrícula, estando esta adulterada», além de «não possuir seguro», razões pelas quais se colocou em fuga e para não ser identificado pela instituição à qual pertence.

O agente policial foi constituído arguido e, depois de presente a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, ficou sujeito à medida de coação de Termo de Identidade e Residência.