A PSP deteve oito pessoas e constituiu dez arguidos na operação de combate ao tráfico de estupefacientes que decorreu esta terça-feira nas zonas da Amadora e Sintra, segundo o balanço final enviado pelo Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis).

No balanço provisório apresentado na manhã desta terça-feira pelo porta-voz do Cometlis, comissário Rui Costa, após o fim da operação, havia o registo de cinco detenções e 15 arguidos.

Em comunicado, o Cometlis informa ter havido oito detidos, sete homens e uma mulher, com idades entre os 23 e os 37 anos: três detenções por posse de arma ilegal, quatro por posse/tráfico de estupefaciente e um detido por permanência ilegal em território nacional.

Além disso, foram ainda constituídos outros dez arguidos, durante as 33 buscas domiciliárias realizadas nos dois concelhos.

No decorrer da operação foram também apreendidas duas caçadeiras de canos serrados, uma pistola de calibre 6.35 milímetros e vários cartuxos de 12 milímetros.

Os elementos policiais apreenderam ainda seis mil euros em dinheiro, 200 doses de haxixe, 800 gramas de produto indeterminado, uma soqueira, um bastão extensível, uma nota falsa de 500 euros, além de material utilizado na comercialização de estupefaciente, nomeadamente balanças e moinhos.

«A operação, que se iniciou às 07:10, decorreu sem incidentes a registar. Foram efetuadas 33 buscas domiciliárias e os detidos são suspeitos da venda direta de produto estupefaciente nas redondezas do Bairro 6 de Maio. Além disso, há as armas apreendidas, que poderão estar correlacionadas com a prática de crime violento», explicou Rui Costa, às 11:00, aos jornalistas.

A operação policial contemplou a realização de 29 buscas domiciliárias no Bairro 06 de Maio, na Venda Nova, Amadora, duas outras em locais daquele concelho e mais duas em zonas distintas no concelho de Sintra.

Esta operação é o culminar de uma investigação iniciada «há seis meses» pela PSP, de combate ao tráfico de estupefacientes, nomeadamente a venda direta aos consumidores.

Na operação, que cercou o Bairro 6 de Maio, estiveram envolvidos mais de 200 homens, entre os quais um efetivo da Unidade Especial de Polícia, composto pelo Corpo de Intervenção, Grupo de Operações Especiais e Grupo Operacional Cinotécnico, além de um dispositivo de ordem pública e de investigação criminal do Cometlis.