Um motorista da plataforma Uber queixou-se à PSP de que foi hoje agredido junto à estação de Campanhã, no Porto, por dois indivíduos, supostamente motoristas de táxis, que se colocaram em fuga, disse fonte policial.

Em declarações à Lusa, fonte oficial da PSP informou que a central da PSP recebeu hoje, pelas 12:50, um alerta de que haveria desacatos junto à estação ferroviária de Campanhã, Porto, e que um carro patrulha e uma equipa de intervenção rápida se deslocaram para o local.

Na rua Pinto Bessa o carro-patrulha foi abordado por um condutor que estaria a trabalhar para a plataforma Uber e que deu conta de que, momentos antes, teria sido agredido por dois indivíduos, supostamente de viaturas de táxis e que entretanto já se teriam colocado em fuga”, explicou à Lusa a fonte da PSP, acrescentando que o queixoso tem agora “seis meses para apresentar queixa”.

“Um cliente testemunhou hoje pelas 13:00 as agressões físicas a um motorista da Uber e danos na carrinha Megane que conduzia”, adiantou à Lusa um outro motorista ao serviço da plataforma, Carlos Moreira, que disse também já ter sido “atacado fortemente” este ano, no verão, com “pedradas grandes” no carro.

“Tive de fugir antes que levasse com uma [pedra] na cabeça. Tive medo com letras gordas”, recordou Carlos Moreira

A Lusa contactou fonte ligada à comunicação da Uber, sem conseguir informações adicionais.