A PSP e a GNR vão reforçar a vigilância nas estradas, recorrendo aos radares de controlo de velocidade, para tentar anular o efeito da greve às multas.
 
Desde o início da semana que os agentes da PSP e os militares da GNR estão em greve de zelo e a ignorar infrações de trânsito.
 
Este fechar de olhos às multas pode significar menos oito milhões de euros nos cofres do Estado até ao final de setembro.
 
De acordo com a Associação dos Profissionais da Guarda, aumentar o número de radares nas estradas foi a solução encontrada pelas chefias para tentar equilibrar a receita proveniente das multas na estrada.