A PSP informou esta segunda-feira que os suspeitos da agressão a um homem que tinha participado num comício da CDU, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, no domingo, não foram identificados e que só haverá investigação se for apresentada queixa.

Fonte do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da Polícia de Segurança Pública (PSP) disse à agência Lusa que os polícias que se deslocaram ao local dos desacatos, cerca das 18:40, perto das Portas de Santo Antão, em Lisboa, verificaram apenas a existência de um ferido, que foi transportado para o Hospital de São José, onde ainda se encontra internado.

De acordo com testemunhos recolhidos no local pela polícia, os suspeitos “tinham a cabeça rapada e vestiam roupa preta”.

O Cometlis acrescenta que não há registo de mais pessoas agredidas, esclarecendo que a polícia só irá iniciar as investigações quando for apresentada queixa pelo agredido, o que, até agora, ainda não aconteceu.

A queixa pode ser apresentada durante os próximos seis meses, como determina a lei.

Alguns órgãos de comunicação social referem hoje que a vítima é um dirigente do Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa.

Citado pelo jornal i, o gabinete de imprensa do PCP adiantou que "algumas pessoas que saíram do comício no Coliseu dos Recreios foram agredidas em zonas da Baixa de Lisboa, por elementos neonazis".