O Bloco de Esquerda (BE) acusou, esta terça-feira, a PSP de violência sobre moradores de um bairro de Silvalde, Espinho, no despejo de uma família que ocupara ilegalmente uma habitação social, mas a polícia afirma ter exercido apenas vigilância no local.

Em causa está uma ação de despejo, que a Câmara Municipal consumou esta manhã e atribui à ocupação indevida de um dos seus fogos sociais e no cumprimento da qual os técnicos da autarquia foram acompanhados por mais de 10 agentes da PSP local.

Em comunicado, a coordenação da distrital de Aveiro do BE criticou o recurso à presença das autoridades e afirmou que «as forças policiais, chegadas ao local, começaram a carregar sobre os habitantes do bairro social que se manifestavam contra o despejo».

«Estamos a falar de muitas mulheres e idosos que sofreram a carga policial a pontapé e à bastonada», realçou o BE, que informa ter questionado sobre o assunto o Ministério da Administração Interna e a Câmara Municipal de Espinho.

Contactado pela Lusa, o comando distrital da PSP rejeitou a acusação.

«Não foi exercida qualquer violência sobre os moradores», informou fonte oficial da estrutura.


«A PSP limitou-se a fazer um cordão de segurança junto ao edifício», garantiu.