A Federação Nacional dos Professores (FENPROF) vai processar a JSD por considerar ofensivo um cartaz virtual em que o dirigente da estrutura sindical, Mário Nogueira, surge retratado como Estaline, a manipular o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

O gabinete jurídico da FENPROF irá avançar com um processo jurídico contra a JSD por ofensa, que reputa de grave, ao bom nome desta federação, na sequência de uma inaceitável e condenável utilização, num cartaz virtual, da imagem do seu secretário-geral”, anunciou hoje a estrutura em comunicado.

A FENPROF alega que não pode admitir a utilização de meios que considera ilícitos e que, na sua opinião, “ultrapassam a decência da ação política”.

Ação essa que, desta forma, - argumenta a federação - “perde toda a credibilidade e tem de ser condenada”.

A JSD recorreu na segunda-feira à imagem do dirigente sindical Mário Nogueira, fardado como o antigo líder soviético Estaline, e do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, manipulado por fios, para criticar a situação do setor.

"Isto Stalin(do), está!" é o título do cartaz virtual, disponível no sítio oficial da organização juvenil social-democrata, com a pergunta "foi nisto que votou?", seguindo-se "coligação de esquerda" e os símbolos de PS, BE, PCP e PEV.