O Governo pretende implementar em 2014/2015 um quadro regulador para professores classificadores de provas de exame para «reconhecer e valorizar» a função, disse, esta terça-feira, em Coimbra, o secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário.

Este quadro será estabelecido para todos os exames, do 1.º ciclo ao ensino secundário, de forma a que «todas as provas tenham um quadro regulador comum», referiu João Grancho, secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, sublinhando a «importância» de se «valorizar» os professores classificadores.

O quadro «enquadraria esta função» dos professores, havendo uma «discriminação positiva» dos mesmos, disse o secretário de Estado, que falava à margem da 2.ª Festa Nacional do Desporto Escolar no 1.º Ciclo, em Coimbra, não adiantando mais pormenores sobre esse mesmo quadro.

João Grancho falou ainda do adiamento da divulgação dos resultados do teste de inglês do 9.º ano, que estaria previsto para 04 de junho, informando que apenas será divulgado «no mês de julho».

O adiamento deve-se, segundo o secretário de Estado, «ao grande acréscimo de procura e à complexidade do processo» do teste, que envolve componente escrita e oral.

O despacho que definia o calendário de implementação da prova, assinado pelo ministro da Educação Nuno Crato, e datado de 20 de fevereiro, determinava que os resultados do teste realizado pelos alunos do 9.ºano seriam divulgados a 04 de junho.

Para os alunos dos restantes anos que se tivessem inscrito na prova, ainda que para eles não fosse obrigatória, a divulgação de resultados deve acontecer, de acordo com o mesmo despacho, até 31 de agosto.

O Instituto de Avaliação Educativa informou na segunda-feira que iria falhar a data para divulgar os resultados do teste de inglês do 9.º ano devido à insuficiência de professores classificadores e alteração das datas da prova oral.

«O projeto de aplicação do teste Key for Schools contou, numa fase inicial, com cerca de 1200 professores que se disponibilizaram para realizar as tarefas de classificação, tendo para o efeito participado na formação promovida pela Universidade de Cambridge e pelo IAVE. No entanto, apenas pouco mais de 800 professores têm estado efetivamente envolvidos no processo», lê-se no comunicado divulgado na segunda-feira pela instituição responsável pela aplicação do teste concebido pelo instituto Cambridge.

Um total de 121 mil alunos, maioritariamente do 9.º ano, mas não só, e com idades entre os 11 e 17 anos, fizeram a prova escrita a 30 de abril.

Depois da prova escrita (de reading, writing and listening), os alunos realizam a componente oral, até ao dia 30 de junho.