Cerca de duas dezenas de trabalhadores da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) entraram esta terça-feira no Ministério da Economia, em Lisboa. Sem reunião agendada, exigiram ser recebidos pela tutela para perceber «qual o rumo e o futuro da empresa».

Em declarações à Lusa, o coordenador da Comissão de Trabalhadores (CT) da STCP, Pedro Silva, lamentou ter sido necessário «invadir o Ministério para conseguir agendar uma reunião com o secretário de Estado dos Transportes», Sérgio Monteiro.

«Depois de dezenas de pedidos de reunião infelizmente tivemos de tomar esta medida»


Pedro Silva acabou por ser recebido pelo chefe de gabinete do secretário de Estado e conseguiu uma data para a reunião com Sérgio Monteiro: «Ficou marcada para o dia 17».

Em causa, além da subconcessão da STCP, a comissão de trabalhadores quer perceber «qual o futuro da empresa» e «qual a solução para a falta de efetivos, que faz com que cerca de 200 serviços fiquem por fazer diariamente».

Devido ao incumprimento dos serviços, «os motoristas têm sido alvo de agressões verbais e físicas»


Os trabalhadores da STCP estiveram cerca de uma hora nas instalações do Ministério da Economia.

No dia 24 de março, a CT da STCP e representantes sindicais acusaram o Governo e a direção da empresa de ignorarem a «falta de segurança com que vivem os funcionários no dia-a-dia».

«Os utentes veem-se privados de transporte público e os trabalhadores são confrontados diariamente com agressões verbais e físicas. Os trabalhadores no terreno são os primeiros a ser confrontados com a insatisfação dos utentes», descreveu o mesmo coordenador Pedro Silva.