Cerca de 200 estudantes universitários começaram, às 15:40, a dirigir-se para a Assembleia da República, numa manifestação contra os cortes no ensino superior.

Os estudantes concentraram-se a partir das 15:00, no largo do Carmo, em Lisboa, iniciando depois uma marcha para o parlamento.

«Está na hora de o Governo ir embora», «Ação, ação social não existe em Portugal» e «Propinas e Bolonha é tudo uma vergonha» são algumas das palavras de ordem que continuam a ser gritadas pelos manifestantes, que empunham cartazes e faixas onde se pode ler «Esta é a voz, basta de ataques ao ensino superior» ou «Assim não pode ser, estudantes em luta contra OE15».

Alguns dos estudantes, ouvidos pela agência Lusa, queixaram-se de que os cortes previstos na proposta do Orçamento do Estado para o setor, para 2015, levam ao aumento das propinas, à redução das bolsas de estudo, à falta de contratação de professores e à ausência de manutenção de edifícios e equipamentos.

O protesto é organizado por várias associações académicas, incluindo as de Lisboa e Porto.

De acordo com a proposta de Orçamento do Estado para 2015, a dotação para o ensino superior e a ação social cai 8,4%, face a 2014, para os 990,5 milhões de euros, ou seja, o equivalente a menos 91,3 milhões de euros em relação aos valores deste ano.