O trânsito na zona marginal de Perafita, Matosinhos, foi hoje cortado perto das 18:00 uma vez que a água do mar galgou a linha de costa e já chegou à estrada, disse à agência Lusa fonte da câmara municipal.

De acordo com a mesma fonte, no local estão meios da Proteção Civil, Polícia Marítima e Polícia Municipal de Matosinhos.

Foram ainda retiradas três famílias de casa, na Praia do Marreco, explicando a fonte que esta medida foi apenas por precaução.

A zona do corte ao trânsito, em Perafita, está compreendida entre a rotunda localizada no final da avenida da Liberdade e praia da Agudela.

De acordo com a mesma fonte, o trânsito foi cortado alguns minutos antes das 18:00.

Dois bares inundados em Espinho, barreiras seguram o mar em Paramos

Dois bares de praia de Espinho foram esta segunda-feira inundados pelas ondas, foram contidas mais a sul, na freguesia de Paramos, por barreiras construídas recentemente pelo Exército.

Ambas as situações foram confirmadas à Lusa pelos comandantes das duas corporações do município, sendo que os Voluntários Espinhenses estão de prevenção nas praias do centro da cidade e os de Espinho se encontram concentrados em Paramos.

«Temos dois estabelecimentos de restauração encerrados devido a inundações pela água do mar», declarou Pedro Louro, dos Bombeiros Voluntários Espinhenses, em relação a dois bares construídos à base de madeira, um sobre o areal da Praia da Baía e outro sobre o da Praia Azul.

«Não há pessoas em risco, mas vamos manter-nos atentos para tentar evitar mais situações complicadas», acrescenta esse responsável.

Já os Bombeiros Voluntários de Espinho estão operacionais na freguesia de Paramos, onde o Regimento de Engenharia de Espinho construiu nas últimas semanas várias barreiras de proteção destinadas a impedir o alastramento da água para os espaços habitados da zona.

«As barreiras de areia estão a ter alguma eficácia em relação ao mar», garante o comandante António Proença, adiantando que «uma está instalada a norte da capela e outra na parte sul».

A vigilância vai manter-se em ambos os locais, adiantando o comandante António Proença que as próximas horas podem tornar-se «mais parecidas com as piores alturas do [passado] fim de semana».