O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) anunciou hoje ter identificado nos últimos dias 61 pessoas, 21 das quais estrangeiros no âmbito de ações de fiscalização à imigração ilegal, prostituição e tráfico humano, realizadas na região Centro.

Em comunicado, o SEF destaca que foram fiscalizados oito estabelecimentos de diversão noturna dos distritos de Coimbra, Aveiro, Leiria e Viseu.

Estas ações decorreram no âmbito de investigações em curso, «visando a deteção de situações de auxílio à imigração ilegal, exploração da prostituição, tráfico de pessoas e a recolha de prova da prática de ilícitos criminais», acrescentou o SEF.

Sete dos estrangeiros identificados não tinham qualquer título ou visto para permanecer em Portugal, tendo cinco deles sido notificados para abandonarem o país no prazo de 20 dias.

«Está a ser avaliada a possibilidade» de os outros dois cidadãos identificados em situação ilegal «poderem vir a regularizar a sua situação documental», acrescentou o SEF.

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras revelou, ainda, que «foram instaurados processos de contraordenação às entidades patronais que mantinham ao seu serviço os cidadãos estrangeiros sem que estes estivessem habilitados a desenvolver qualquer atividade profissional», poderão vir a ser condenados ao pagamento de valores entre os 6.000 e os 30.000 euros.