O 12.º Serralves em Festa arranca esta sexta-feira, na baixa do Porto antes de, no sábado, iniciarem as 40 horas contínuas em Serralves.

O tema deste ano é  “Um entre muitos”, sendo a ideia “que as pessoas possam fazer e sentir-se parte de um coletivo”, num momento em que “públicos e artistas vão partilhar lugares e experiências marcantes ao longo destas 40 horas”, disse à Lusa a diretora de recursos e projetos especiais de Serralves.

“Em 40 horas concentramos atividades, áreas disciplinares, cruzamos áreas disciplinares entre as artes performativas e as artes visuais num confronto único neste parque magnífico”, afirmou Cristina Passos, que frisou que este ano vão estar abertos o portão da avenida Marechal Gomes da Costa e também o próximo da rua Bartolomeu Velho.

O objetivo é que, desta forma, se dê resposta a uma procura crescente por parte dos visitantes do Serralves em Festa, que, no ano passado, ultrapassaram as 140 mil pessoas. “O número de públicos para o qual trabalhamos é sempre incerto, mas o que posso garantir é que estamos completamente dimensionados quer em termos de atividades quer em termos de restauração e capacidade de acolhimento para todos quantos quiserem vir passar 40 horas inesquecíveis”.

Na baixa da cidade haverá espetáculos às 15:30 de hoje na Reitoria da Universidade do Porto e depois às 16:00 no mesmo local, seguindo-se atuações às 21:00, 22:00 e 22:30 próximo da estação de São Bento.

O evento, a decorrer em Serralves das 08:00 de sábado até às 24:00 de domingo, conta com nomes como o coletivo de jazz The Pyramids em colaboração com cinco músicos portugueses, o projeto Ndagga Rhythm Force de Mark Ernestus, o duo de Jacarta Senyawa, Paus com Jemima Stehli, para além dos The Pop Group, entre outros.