«A escolha da entidade contratada decorreu da qualidade e caráter único dos serviços prestados, o teste e o pacote de formação complementar, e foi adotada a figura de ajuste direto, tendo por base critérios materiais. Mais uma vez, ao invocar a pretensa ilegalidade dos atos que regulam a relação do IAVE, I.P., com a Universidade de Cambridge, a Fenprof assume uma atitude ofensiva e difamatória das entidades visadas, situação com a qual não se pode continuar a pactuar», lê-se no comunicado.










«O IAVE parece estar a sentir-se mal com o facto de ser grande o número de professores que recusa participar neste processo, bem como os que, participando, recusam fazer o teste que lhes é imposto.»