“Ser professor no ensino particular e cooperativo é ter os problemas comuns a todos os professores, um trabalho em que impera uma grande burocracia, horários de trabalho penalizadores, o que não contribui para o melhor desempenho, uma sobrecarga de tarefas, um grande desgaste físico, psicológico e emocional.”


“Há uma pressão muito grande, uma ameaça que vai pairando sobre os professores que faz com que o exercício da reivindicação seja muitas vezes travado.”


“Há ali um medo que faz com que, por vezes, as pessoas se resignem com a sua situação, independentemente da indignação. As pessoas têm medo de ser despedidas, e mesmo sabendo que lhes estão a exigir mais do que é legal, têm medo das consequências, nomeadamente de despedimento, o qual já tem existido.”