Perto de meia centena de guardas prisionais estão concentrados junto à Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, em Lisboa, em protesto contra as escalas, avançou à Lusa o presidente do Sindicato Independente do Corpo da Guarda Prisional.

De acordo com Júlio Rebelo, os guardas prisionais começaram a sua vigília pelas 09:00, frente à DGRSP, como «chamada de atenção» à tutela para a situação vivida pelo corpo de guardas «com escalas ilegais e sobrecarga horária sem ser remunerada».

«Neste momento, estamos perto de meia centena e estão a continuar a chegar mais elementos. Dentro de algum tempo, esperamos que esteja perto da centena prevista de elementos que se predispuserem a vir demonstrar o seu descontentamento à tutela», explicou Júlio Rebelo.

O sindicalista adiantou ainda que o diretor-geral dos Serviços Prisionais tinha agendado uma reunião para quinta-feira, marcada já depois do agendamento da vigília dos guardas prisionais, mas que não se realizou.

«Predispusemo-nos a desmarcar a reunião se esta fosse frutífera para o corpo de guardas, mas para surpresa nossa, recebemos um email a desmarcar a reunião por motivos de agendamento da vigília quando esta tinha sido marcada antes da própria reunião», recordou.

Júlio Rebelo frisou que não houve deslealdade por parte do sindicato na desmarcação da vigília, acusando, no entanto, a tutela «de má-fé» no processo.

Dependendo do resultado da vigília ao longo do dia, o sindicalista adianta que o corpo de guardas poderá avançar para o Ministério da Justiça, no Terreiro do Paço, durante a parte da tarde.